Reapropriação ou pelo fim da privatização das memórias afetivas

CU É LINDO

Arquivo facebook - CU É LINDO

Arquivo facebook – CU É LINDO


O projeto “CU É LINDO” é uma iniciativa proposta pelo performer Kleper Reis, iniciada em 2012 na cidade do Rio de Janeiro. Radicada nas recordações e memórias de sua vida. Também celebra os tempos de adolescência quando conheceu a poetiza Adélia Prado e sua obra, “Objeto de Amor”. Desde 2012 este vem realizando ações e procedimentos com vistas a apresentação da “Série performática CU É LINDO” através da exposição dos registros destes trabalhos, fotoperformances e novas ações performáticas. Do mesmo modo, é tema de estudo que compõe a escrita de suas memórias afetivas e processos curativos na monografia da pós-graduação em arteterapia e processos de criação na Universidade Veiga de Almeida. Esta será defendida em 2015. Portanto, trata-se de um projeto de pesquisa que visa a superação, a regeneração das marcas, dos traumas e dos pânicos provocados pela cultura do ódio e da homofobia na história de vida do performe em questão e de muitos outrxs. Assim afirmamos que insultamos a exploração do outro (seja ele animal, vegetal ou mineral), a competição, a repressão, a apropriação perversa, o roubo, as trapaças e o desejo de tirar vantagens.
“CU É LINDO” é uma ode a metamorfose que constrói o novo; a composição do mundo a partir de ações coletivas, fruto da união de singularidades humanas com o intuito de partilhar a movimentação, o balanço necessário para a geração de outra vida social, o desejo de alteridade e a conquista da liberdade criativa e da autopoieses. Um convite a criação de alianças, laços afetivos, solidariedade e cooperação.

Arquivo facebook - CU É LINDO

Arquivo facebook – CU É LINDO

Fonte para consulta dos registros de performances realizadas por Kleper Reis e companheiros de 2008 até os dias atuais:

  http://incomodosparaquemaindavierameamar.blogspot.com.br/

Referências primordiais: “Memórias Afetivas de Uma Bicha Afetada” de Kleper Reis, “Obejeto de Amor” de Adélia Prado e “Ame e Dê Vexame” de Roberto Freire.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s